domingo, 28 de agosto de 2011

Linguagem corporal

............................ A Linguagem Corporal na Entrevista de Emprego
.

.
Estamos nos comunicando a todo o momento e embora a maioria das pessoas acreditem que a única forma de comunicação é através da fala, a nossa linguagem corporal também é um veiculo de transmissão do que pensamos e sentimos. O nosso corpo fala!
Pesquisas apontam que apenas 7% da nossa comunicação é verbal (palavras), 38% é vocal (volume da voz, entonação, ênfase e colocação vocal) e 55% é não verbal.
.
Nossos gestos, nossa postura, tom de voz e até mesmo a forma como nos vestimos revela muito sobre nós. Através de uma análise de nossa linguagem corporal, é possível identificar traços de personalidade, como arrogância, insegurança, valores e sentimentos.
.
Através dessa leitura entrelinhas pode-se verificar atitudes muitas vezes contraditórias ao que é expresso verbalmente, como por exemplo, um olhar de incerteza quando se está fazendo uma afirmação.
.
Pensando nisso, quem está em busca de uma nova colocação no mercado de trabalho deve ficar atento não apenas ao que é dito no momento da entrevista e na elaboração do currículo, mas também em sua linguagem corporal.
.
Segue algumas dicas para quem irá participar de uma entrevista de emprego:
Cuidado com a postura: Sente-se de frente para o entrevistador, de forma ereta e cabeça erguida. Isso irá indicar confiança e que você está se sentindo confortável com a situação. Não se "jogue" na cadeira e nem fique se balançando.
.
Respeite o espaço do outro: Não apóie pastas ou bolsa na mesa do entrevistador nem empurre os papéis, calendários ou outros objetos que estão sobre a mesa. Se você não respeita o espaço da consultora no momento da entrevista, também não sabe respeitar os limites de seus colegas no ambiente de trabalho.
.
Ao se apresentar evite uma atitude muito íntima, o entrevistador não é seu amigo de infância, um aperto firme de mão é o suficiente
Controle sua ansiedade: Ficar balançando os pés, mexendo em pulseiras ou batendo canetas na mesa são sinais de nervosismo e desconforto. Tente controlar a ansiedade e manter a calma. Pense na entrevista não como uma avaliação, mas em uma oportunidade de expor sua experiência e conhecer também sobre a empresa e proposta de trabalho.
.
Mantenha um contato visual: Olhe diretamente para o entrevistador, mas sem encarar, isso irá demonstrar seu interesse e atenção. Olhar cabisbaixo aponta para timidez e depressão. Olhar para os lados em demasia indica discordância ou indecisão.
Braços Cruzados: Indica uma postura defensiva, falta de receptividade, que a pessoa não está confortável com a situação.
.
Comunicação: Quando estamos ansiosos geralmente falamos mais rápido e não nos tornamos claros. Fale com calma, respondendo com coerência e objetividade.
Cuidado também com o tom de voz. Falar muito baixo ou lento pode indicar falta de vitalidade e alto demais, agressividade.
Por exemplo, duas pessoas podem utilizar um mesmo discurso, porém através do tom da voz, entoação ou mesmo ao gaguejar, uma poderá ter vantagem por apresentar maior convicção.
.
É importante lembrar que essa leitura não deve ser rígida. A linguagem corporal é uma ferramenta de avaliação que permite uma compreensão melhor de pessoas e situações, porém, pode induzir ao erro se não for bem utilizada.
Não se deve enquadrar todas as atitudes dentro de um dicionário de gestos. É necessário tomar cuidado para não interpretar demais, desconsiderando aspectos pessoais, ambiente e local.
.
Aspectos externos não considerados podem ocasionar em conclusões errôneas, afinal o ato de cruzar os braços pode ser uma atitude de quem sente frio ou uma voz fraca indício apenas de um forte dor de garganta.
Também é verdade que ninguém gosta de um candidato rígido que fica controlando 100% de seus atos, afinal já imaginou trabalhar com uma pessoa que manipula suas ações e palavras o tempo inteiro?
Sendo assim, o mais importante é ser verdadeiro, educado e agir com respeito.

.
.
by site Luandre